I run Paris

Ruim.

Era assim que eu me sentia na véspera da corrida. A noite estava fria, eu havia andando pencas em Versailles e estava mega passando mal por conta do quarto do hotel. Não sei se era o carpete, a calefação ou qquer outra coisa, sei que meu nariz tampou absurdamente assim como minha garganta. Eu respiro pela boca então foi difícil demais conseguir dormir.

Como de costume (mentira, NUNCA faço isso) deixei tudo pronto pra manhã seguinte: número, alfinetes, dinheiro, roupas, meia, acessórios….

Acordamos por volta das 7:00 e saímos do hotel por volta de 8:30. Como é muito frio a largada é mais tarde do que o horário que estamos acostumadas, foi ãs 10:30 no Parc Floral.

O lugar é lindo e totalmente descampado! Isso permitia termos uma insuportável e deseperadora sensação de congelamento (gritei “I’m freezing” umas 800 vezes).

Não conseguia me imaginar correndo sem o saco de plástico que veio no kit para nos protegermos do frio. Sério, pra mim não ia rolar tirar aquilo mesmo que estivesse me sentindo a Editora de Estilo mais cafona da face da terra.

Vamos lá, fui de legging Nike, meias de compressão CEP por baixo, top Mizuno, corta-vendo Adidas, camisetinha Nike, manguito Skarp e tenis Lunarglide.

Tava linda no hotel, linda e feliz por ter conseguido me adaptar às roupinhas de frio.

Bastou abrir a porta para meu desespero bater. Eu não acordei nos melhores dias, me olhei no espelho e vi uma cara cansada, uma garganta vermelhona e o reflexo de uma mulher pensando em voltar pra cama.

Pensei em tudo que já tinha passado até ali, lembrei do Zé me falando sobre NÃO DESISTIR JAMAIS no dia anterior quando tive uma crise de “vou desistir” lavei o rosto com meu Avene chiiiiique de tudo e fui!

Muito muito muito frio até a hora da largada. Tipo 1 ou 2 graus.

Foi dada a largada, meu corpo não esquentava, meus pés duros…fui sentindo uma melhora lá pelo km 4. No 5 já estava sem corta-vento e no 6 com manguitos abaixados. Segurei minha onda e fui no 6 pra um até o km 10.

Pessoas lindas gritando na rua durante todo o percurso, batalhões de policiais lindos e loiros gritando para os corredores, crianças dando as mãozinhas para os corredores baterem…enfim, tudo lindo!

Passei pela Rue de Rivoli ouvindo Claudinho e Buchecha no talo e rindo sozinha, claro. A mais pão com ovo em Paris ouvindo C&B!

Não consegui pegar água pois só tinha posto de um lado da rua e como eles davam laranjas cortadas para as pessoas fiquei com muito medo de escorregar nas cascas. Não peguei água mas entrava no pace de algum europeu bonito, fazia cara de triste, olhava pra garrafinha de água dele e voilá! Não passei sede alguma.

No km 11 tomei um tubinho de Energie Raid, que é um gel horroroso que comprei na feira da entrega do kit, no km 15 tomei um Powerade e no 17 tomei um tal de Turbo Punch que vc toma pra dar uma descabelada no final.

Claro que no km 17,2  comecei a ter enjoos e vontade de parar. Foi muito difícil até o 19, muito mesmo. Pensei em diminuir e/ou parar diversar vezes mas seria péssimo terminar a meia de Paris andando, ia ser motivo de chacota na redação pra sempre.

Respirei fundo, acertei o passo, acertei s braços e fui.

Terminei os 21,3km em 01:46:41 nova em folha e pronta pra mais uma. O enjoo passou, não sentia dor alguma e estava muito feliz com o tempo.

A parte da “dor alguma” não foi assim pra sempre, meia hora depois minhas panturrilhas me matavam. A meia de compressão, aliás, foi uma grande aliada nessa prova!

E foi isso. Acho que consegui.

Eu tenho um lance comigo mesma de às vezes durante a corrida ficar pensando se não sou uma farsa, não foi diferente em Paris, ainda mais depois de tudo de desagradável que tinha acontecido até então….Mas tenho também uma versão minha muito otimista que tira esses pensamentos num piscar de olhos! Chega de auto-sabotagem, meninas.

Não temos que deixar ninguém dizer quem somos ou do que somos capazes, ok?

 

E lá não tem essa de “chip na mão” não.

No kit vem um lacre pra vc prender o chip no cadarço e no final tem umas pessoas cortando lacres e pegando chips.

Fica a dica!

Quero agradecer pelas fotos que são do querido Julio Kumagai (aka World Tennis do interior) que tb foi para Paris com sua esposa Silvia correr a prova!

Agradecer minhas leitoras queridas que me deram super força, agradecer à Ane Kiefer da TAM que foi quem surgiu com essa idéia louca no dia da festa da O2, agradecer meu chefe por ter me incentivado (e me dado umas folgas), ao pessoal da revista que me deu dicas preciosas de como correr no frio, aos amigos do coração, mamãe e papai (que estão em lua-de-mel no Rio), Malu que não me deu nem um beijo quando cheguei em casa, ao outro lá por ter me ensinado grandes lições e ter me ajudado a transformar meus medos em grandes e maravilhosos sonhos!

…e é isso!

24 respostas em “I run Paris

  1. Estava líndissima de Lunarglide e legging da Nike (tão bonita, lembra qual é o modelo?). Nem parece que teve essa noite de lixo. Meus parabéns!!!
    Além de correr pra caralho, incentiva horrores toda a mulherada por aqui.

    (Só o C&B que eu dispensaria, eca.) hehe

  2. parabéééns pela corridaaa!! e você tá certíssima: chega de auto-sabotagem mesmo!!

    adorei as fotos!! mas sério, se eu fosse homem, acho que não ia ter coragem de fazer xixi nesses “banheiros” não!! kkkkkkk

  3. Poxa Paula, tava eu aqui na agunia dizendo: ” E aquela outra lá, não vai atualizar o blog não?”. To contente por você, que bom que chegou bem no fim, que espantou os demônios. Domingo é minha primeira prova, 5km, não posso negar que blog assim inspira pra quem tá começando a gastar a sola do tênis!!
    Bjoo

  4. Ninguém precisa mesmo dizer o q somos ou do q somos capazes, mas sinceramente Paulinha, vc é phoda!!! eu te admiro demais! sucesso pra vc em tudo e sonhos, mtos sonhos e cada vez maiores pra vc conquistar um por um e vir aqui dividir conosco!

    Um bjo linda.

  5. Oi Paula!!!!
    Parabéns por mais este grande feito.
    Tenho acompanhado o seu blog, e o acho ótimo.
    Eu, infelizmente, descobri tarde o prazer das corridas. Mas apesar de meu biotipo não ser muito favorável, eu não desisto de tentar fazer uma meia abaixo de 2hs.
    Acho fantástico correr para viajar ou viajar para correr????:)
    Gostaria que você desse dicas sobre como correr no frio, já que acho que vou pegar uma geleira na Meia de NY.
    Obrigada
    Nadja

  6. Paraaaaabens Paula!!!!
    Voce é d++ hem!!!
    Fui pra Pari em Janeiro, é mtooooooooo frio! Nao tava aguentando mesmo com todos os casacos em cima!!

    Como voce conseguiu correr nesse frio?! Parabens mesmo hem!!! Incrivel como quando queremos algo fazemos de tudo para conseguir!!!
    Te admiro e a d o r o seu blooog!! Todo dia entro pra ver suas novidades!!!! Gosto bastante pois me da inspiração, eu quero correr meus primeiro 5Km, semana que vem vou começar um treino com tudo, academia e tudo mais!!!rsrsrs

    Bjaoooo linda!!!

  7. Paula, parabéns, girl!
    Arrebentou. E obrigada por compartilhar as dificuldades com a gente. Saber que não é só eu que fica cheia de grilos e com vontade de voltar para a cama antes de algumas corridas é um conforto.
    Parabéns especialmente por vencer seus medos e se propor a fazer o que queria apesar deles. Que venham muitas outras conquistas para você.
    Ah, e eu quero fazer parte do pelotão rosa!

  8. Paula,
    agora fico todo dia esperando seus posts…
    Fiquei viciada!!
    São divertidos, alegres, leves e verdadeiros!!
    Além de nos incentivar com sua performance.
    Nos ajudar com as dicas.
    E dividir consco os momentos bons e ruins!!
    Parabéns e continue assim…alimentando nossas almas corredoras!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s