Eu corredor egoísta.

Pode ser que algumas pessoas concordem, muitas discordem, algumas gostem e muitas odeiem, mas preciso falar.

A grande verdade é que nós corredores somos um grupo de pessoas bem egoístas, e concordando ou não, tenho certeza que todo mundo já se pegou pensando sobre isso em algum momento.

Selfish

Porque?

O que importa são meus horários, se tiver a festa das crianças na escola no dia da prova, vou na prova.

Se estou casada com alguém que não gosta de corrida, tento converter a pessoa ou então desejo estar casada com alguém que goste.

Se as amigas convidam para jantar, sou desagradável e sigo firme nas minhas restrições alimentares.

Se preciso acordar cedo para levar minha filha no médico, ou para qquer oura coisa que não seja treino, acho ruim.

Não vou sair para jantar no Dia dos Namorados porque tenho treino na madrugada seguinte.

O corpo implorando por descanso e nossa cabeça egoísta mandando não descansar.

Me considero muito mais feliz do que alguém que não corre.

Turma do Endurance? Pior ainda.

São treinos de 4, 5, 6 horas no final de semana. Horas preciosas que estão passando na vida das pessoas que a gente ama mas a gente escolhe treinar.

Gasto uma fortuna para viajar, pagar inscrições e afins, mas reclamo das outras contas da vida.

Posso ficar aqui o dia inteiro listando por que somos egoístas, mas não vou, prefiro refletir para achar o equilíbrio e conseguir para ser uma mãe, uma mulher, uma amiga, uma profissional e uma atleta melhor.

Só estando do outro lado ou no estaleiro para perceber tudo isso, né? E sinceramente, não se aguentaria estar do outro lado e definitivamente não quero estar no estaleiro, mas se a gente não aprende as coisas no amor, a vida se encarrega de ensinar na dor.

Correr é bom, ter objetivos de vida saudável é maravilhoso, estar de bem com o corpo é sem preço, mas prestar atenção no que acontece em volta é VITAL.

Desculpem pela sinceridade indecorosa.

21 respostas em “Eu corredor egoísta.

  1. Mandou bem…não só na corrida, mas nos esportes em geral, vivi uma fase egoísta total, meu primeiro casamento ia mal (aproveitei a deixa) e só pensei em mim…errei, pois deixei muitas vezes filha de lado por conta disso, mas ainda bem que tive a chance de corrigir e poder passar por isso de novo, agora com plena consciência e prioridades, família em primeiro lugar !

  2. O equilíbrio é o maior desafio, sempre!
    Estar perto de pessoas que entendam um pouco do que nos é exigido nos treinos também é uma ecolha razoável, tenho amigos que entendem e outros que nem tentam entender. Faz parte, vamos administrando os dias e as horas.
    Por sorte fui apresentada ao mundo running pelo meu marido, mas sempre fui uma excelente cia e fotógrafa antes de iniciar os primeiros trotes. Hoje ele está no estaleiro e quando não treinamos juntos eu tento acordar muito mais cedo para conseguir passar mais tempo ao seu lado no fim de semana. Vamos que vamos! Bons treinos!!!!!

  3. Conforme vamos ficando maduros no mundo da corrida, e na vida, aprendemos a fazer escolhas mais conscientes. Às vezes renunciamos a um treino, uma prova, uma churrascada, uma tarde com café colonial, por um objetivo maior, para estar com quem amamos ou para fazer aquele treino, aquela prova. Vai do momento, da consciência, das boas escolhas 🙂 há dias em que quero colocar os 3 filhos de volta dentro da barriga só para poder fazer um treino longo sem preocupação 🙂

  4. Concordei e gostei, Paula. Acho que é isso mesmo.

    Uma das coisas que me incomodam é abdicar de momentos preciosos com meu filho e minha esposa para treinar (principalmente nos finais de semana), mas essa é a minha atual condição, se eu quiser treinar. Minha sorte é que minha esposa, apesar de (ainda) não ser corredora (mas já foi, abandonou há alguns anos e em breve tomara vai voltar), é compreensiva e me incentiva.

    Por outro lado, todo o tempo usado nos treinos (e que portanto foi abdicado de passar com a família) torna-se um incentivo, um estímulo a mais para superarmos os desafios e para correr com o “sangue-no-zóio” nosso de cada dia, de cada prova. Se é para abrir mão de um tempo precioso, que seja para fazer valer a pena.

    É preciso ter bom senso, e a “escolha certa” vai de cada um, dependendo das suas circunstâncias.

    Abraços, bons treinos e boas escolhas para todos nós.
    Brunno – http://movidoaendorfina.wordpress.com

  5. Assim que terminei de ler seu texto, a primeira coisa que me veio a cabeça foi dizer “Ui”!!!.
    Porque é de uma verdade gritante!
    A coisa vai te pegando de um jeito que quando você vê, tá lá, indo correr gripada, sem ar, encarando 9 subidas ordinárias numa manhã de domingo (eu! eu!).
    Mas sabe Paula, as vezes, eu preciso ser egoista com o mundo, pra ter uma hora pra mim.
    Trabalhando, com filho pequeno, supermercado pra fazer, babá faltando, essa é a única hora do dia que é só minha.
    Eu “comiga”mesma!
    E aí, me confesso egoísta!
    Eu preciso dessa terapia.

    Bj, gatona!

  6. Certa vez postei na “minha timeline do facebook” que achava boa parte dos corredores e triatletas uns malas porque eram monotemáticos e “focados” demais em apenas um aspecto das vidas e o que levei de paulada…

    É bem por aí, querida. Beijos!

  7. Uma vez um amigo me disse que a gente corre por prazer e não para ganhar dinheiro. Acho que é bem por aí…a gente sempre vai poder correr e alguns momentos, algumas situações são únicas e vale a pena sacrificar o treino por elas. Foco é bom, é ótimo. Neura é uma merda.

    beijos

  8. `Pois é..rsssss..desagradável mas é verdade. Hoje emsmo estava pensando em como vou treinar na quinta depois de jantar com meu marido no dia dos namorados. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
    Com as amigas, então, nem se fala. Aniversário no meio da semana? Não vou pq tenho treino no dia seguinte. Sei que é egoísmo, mas pq não podem comemorar no sábado? Rsssssssssss
    O marido, que anda sedentário, quer sair na sexta. Eu saio, janto, mas se ele quiser esticar, eu volto pra casa sozinha, deixo ele com os amigos. (Será que estou dando bobeira?)
    No entanto, com relação aos meus filhos, tenho conseguido deixar o egoísmo mais de lado. Por exemplo: Passei o longão de FDS para sexta, pra poder ficar mais tempo com eles no sábado. Nesse dia, faço um regenerativo de 7 kms, e quando eu volto eles acabaram de acordar, e eu ainda chego com pão quentinho!
    A gente vai levando do jeito que dá, Ninguém é perfeito, caramba!

  9. Eu sou um corredor atípico então.
    Eu mato treinos para ir na escola de minha filha, vou jantar com meus amigos, confraternizo tranquilamente.
    Eu sei que o mundo não gira em torno do meu umbigo, então eu me organizo para treinar enquanto todos de casa dormem.
    Sofro boicotes quando tenho algum evento na parte da tarde, pois minha esposa sempre fala para que posso ir, mas depois do almoço sempre chama para sairmos. Sempre em nome da família, perco o meu treino, pois sei que ela comentaria com as filhas que deixei de sair para ir correr.
    Agora concordo sobre eu não escutar meu corpo e ir treinar mesmo todo moído do dia anterior, mas depois do treino, o corpo agradece por eu não ter escutado.

  10. Texto excelente!
    Estou há sete meses parada e fiz essa reflexão…
    Estava precisando me tornar uma mãe melhor,sabia?
    Mas estou louca para poder voltar a correr,parece que está faltando um pedaço da minha vida!
    Abraços,
    Lina

  11. Não sou egoista nem em comentar em Blogs!
    Não sigo planilhas, não deixo de beber, de comer, de sair, de curtir meu pequeno para correr.
    Não consigo imaginar como é descansar depois de um longão, isso não existe para mim, chego do treino e quando consigo tomar banho já é lucro. As provas noturnas de sábadão acabo perdendo todas para não ficar longe da familia sedentária e mesmo assim, ainda tem muita reclamação. Vai entender!!!
    As provas de domingo de manhã, se eu corresse e voltasse para casa ainda pegava a turma dormindo, mas aí é sacanagem comigo, prefiro ficar no blablabla e chegar um pouco mais tarde, sem trânsito.
    Agradar a todos é impossível, mas me chamar de egoista por conta de corridas e treinos ninguém pode!
    Beijos
    Colucci

  12. MUITO BOM SEU TEXTO,MAS O NOSSO EGOÍSMO TEM UM MOTIVO BOM,A SAÚDE.NA VIDA TEMOS QUE SER EGOÍSTAS AS VEZES,MAS O BOM SENSO DEVE PREVALECER SEMPRE.ACHO QUE PODEMOS SER ATLETAS E MÃES/PAIS DEDICADOS,ATLETAS E PROFISSIONAIS COMPETENTES,ATLETAS E AMIGOS PRESENTES SEM DEIXAR NOSSA PAIXÃO DE LADO.QUEM ENTENDE ESSA VIDA LOUCA DE CORREDOR DEVE SER VALORIZADO E JÁ DIZIA O DITADO,SE NÃO PODE VENCER JUNTE-SE A ELE.BORA TREINAR

  13. A reflexão veio num momento perfeito pra mim. Estou num relacionamento e nos últimos tempos vieram questionamentos do tipo. Mas mesmo assim vou dizer uma coisa: a gente precisa ser um pouco egoísta sim! E isso é saudável! Vejo os comentários aqui e a galera tem que acordar mais cedo do que o resto da família no fim de semana pra poder correr. Nossa, precisa mesmo? Será que o namorado, marido, esposa, filho, não podem entender que aquele é um momento só nosso? Sem contar que o resultado (no corpo) eles gostam e desfrutam. Vamos ter o equilíbrio sim, mas um pouquinho de egoísmo, algumas horas na semana, não mata ninguém.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s